quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Solidão


 Clara era uma linda menina com cabelos castanhos, olhos grandes e expressivos, e um sorriso encantador. Vivia com sua mãe e seu pai em uma cobertura em um edifício muito luxuoso. Seu pai era empresário (apesar dela não saber o que isso significava, pois tinha apenas cinco anos) e sua mãe passava o dia no telefone com amigas, indo ao cabeleireiro ou fazendo compras. Quem passava a maior parte do tempo com Clara era a babá. Clara não passava muito tempo com os pais, mas tinha uma hora do dia que ela adorava: era quando o pai chegava em casa. Ele a pegava no colo, levava até o terraço da cobertura, e a segurava bem alto, imitando o barulho de um avião. Ela se divertia muito com isso. Adorava poder ver aquela cidade enorme de cima e sentir como se pudesse voar.
Após alguns meses, a família começou a ter problemas financeiros, o que deixou todos tristes. O pai sempre chegava tarde em casa, e estava cansado demais para brincar de avião com Clara, e a mãe já nem notava a presença da filha.
Se sentindo muito só, Clara foi para o terraço, e lembrou como era bom quando seu pai brincava com ela. Sentia saudade daquilo, e decidiu brincar sozinha. Começou a correr pelo terraço, e fingir que estava voando. Subiu em um murinho e sentiu o vento em seu rosto. Por um momento desejou muito poder voar para fugir daquela solidão. Era nisso que estava pensando quando pulou do vigésimo andar, só não sabia que estava pulando para sua própria morte.

Um comentário:

  1. http://semprelesstack.blogspot.com/p/parceria.html

    Veja, talvez se interesse por parceria

    ResponderExcluir