quinta-feira, 6 de junho de 2013

A vida eterna



Enfim, descobriram a fórmula da juventude. Quer dizer, haviam descoberto faz tempo, mas conseguiram ocultar disponibilizando apenas para pessoas mundialmente famosas, e criando falsas mortes para elas. Mas mais cedo ou mais tarde, todos iriam descobrir. O governo tenta controlar, mas qual é o mercado negro que obedece o governo?
Saber que essa fórmula existe é uma tentação para todos nós. Ainda mais eu, um jovem rico e bem sucedido, com 26 anos, no auge da juventude. E foi por isso que decidi ser eterno!
Eterno... eu não tinha noção do que era essa palavra até começar a vivencia-la. Bom, começarei do começo (sim, eu poderia começar do final).
Essa loucura começou com boatos. Elvis não morreu, Michael Jackson e várias outras personalidades que supostamente morreram. Seus fãs sempre estranharam as mortes. Questionavam, investigavam, elaboravam teorias da conspiração. Até que um dia se mostraram estarem certos.
Isso aconteceu quando o presidente Barack Obama "morreu" em um momento complicado da sua carreira política. Disso não entendo muito, então comentarei por cima. Obama queria acabar com as guerras que se alastravam cada vez mais pelo mundo, e acabou se metendo com quem não devia. Após muitas ameaças de morte, Obama teve uma morte muito suspeita. Disseram que levou um tiro na cabeça enquanto dormia. Ninguém pode ver o corpo. A empregada da casa branca disse que no dia da suposta morte, não havia sangue algum no quarto dele. Isso foi o suficiente para os paranoicos de plantão. Mas dessa vez eles iriam acertar, até que descobriram e revelaram ao mundo a existência da fórmula da juventude.
Um tratamento realizado apenas uma vez, e você será eterno. Nada de velhice. Nunca. O governo negou até o fim, mas já era tarde. Os poderosos no submundo já haviam descoberto a fórmula e começado a vender por preços altíssimos. O que para mim não foi nenhum problema, já que sou herdeiro de uma das maiores fortunas do país.
Tudo começou a muito tempo atrás (ainda não vou dizer quando), quando tinha apenas 15 anos. Eu aproveitava a vida. E muito. Tinha amigos mais velhos, entre 22 e 32 anos, aproximadamente, que sempre saiam comigo, e aproveitavam a noite toda, regada a muito sexo e bebida. O tempo passou, e nos afastamos.
No meu aniversário de 26 anos decidi dar uma festa de arromba, e reunir todos os amigos que a tempo não via. Inclusive os que mencionei agora pouco. A maioria compareceu, e fiquei abismado com o que 11 anos fizeram a eles. As garotas já não estavam tão lindas, e os caras não tinham o mesmo pique. Alguns já apresentavam cabelos brancos, dores no corpo, essas coisas que a idade traz consigo. Me olhei no espelho, e decidi que não iria chegar ao ponto deles, e iria aproveitar a eternidade, com meu corpo jovem e saudável. Foi simples assim. Contatei alguns conhecidos, e consegui facilmente me submeter ao procedimento que me concederia a vida eterna. E assim foi, como prometido, obtive a juventude eterna.

Os primeiros 100 anos: tudo foi maravilhoso, exatamente como eu esperava. Festas, bebidas e mulheres todos os dias. Uma curtição sem fim. Não ter que me preocupar com o amanhã foi absolutamente incrível, e me trouxe uma sensação de poder maravilhosa. Basicamente foram 100 anos de festas.

Dos 100 anos aos 200: Estava com (acreditem se quiserem) 126 anos. Foi ai que a coisa começou a desandar. Minhas festas, cada vez menos tinha rostos conhecidos, pois todos estavam envelhecendo. Comecei a criar nojo de pessoas com uma aparência mais velha do que a minha, e só conviver com pessoas novas. Mas os anos passavam para elas também, então era sempre obrigado a renovar meus "amigos" de festa. Todos que conheci na minha infância ou adolescência haviam morrido. Alguns eu chorei a morte, mas os anos (acreditem, foram muitos) me ajudaram a esquecer dessas pessoas. Os novos convidados das minhas festas eram pessoas incríveis, mas que não fizeram tanto parte da minha vida, e comecei a perder o interesse por elas (tanto pelas pessoas quanto pelas festas). Então comecei a me dedicar a hobbies.
Aprendi a pintar, dançar, caçar. Depois me interessei por cultura oriental, e sei fazer 38 tipos de origamis. Colecionei selos, viagens, moedas antigas e até livros raros.
Me aventurei também nos esportes, tais como snowboard, balonismo, esqui, mountain bike e até alguns bem radicais, como Wing Walking. E assim se passaram mais 100 anos.

Dos 200 aos 300 anos: Já havia aprendido muito mais coisa do que a maioria dos seres humanos. Havia conhecido gente. Festejado. E não sabia mais o que me restava fazer com a eternidade. Pensei em realizar alguns sonhos, mas é incrível como adiamos as coisas quando se tem um futuro infinito pela frente. Então simplesmente comecei a existir. Acordava, comia, lia algum livro, olhava as notícias (que estavam cada vez mais estapafúrdias) e voltava a dormir. Os anos foram se passando, e eu sempre na mesma rotina. 20, 30, 50 e finalmente, 100 anos se passaram assim. Até que aquilo aconteceu.

Dos 300 em diante: com 327 anos, pela primeira vez na vida, encontrei o amor da minha vida. Uma mulher incrível, e que também me amava. Foram os anos mais felizes da minha vida, até um certo ponto. Estávamos a 12 anos juntos, e ela estava começando a envelhecer. Sugeri a vida eterna para ela, mas por algum motivo ela se recusou. Não quis me dizer qual era, simplesmente recusou. Insisti por algum tempo nisso (uns dois anos, mais ou menos) até que finalmente ela aceitou. Foi a maior felicidade da minha vida. Imediatamente comecei a procurar meus contatos no mercado negro. Foi ai que me dei conta, que não tinha mais nenhum contato. Então busquei pelas ruas. Fui a bares caros, onde pessoas do submundo frequentavam, e comentava sobre o assunto. Mas por algum motivo, todos me negavam que isso existia. Estava começando a ficar frustrado quando um homem me abordou. Estava saindo de um desses bares, após algumas pessoas negarem a existência da tal fórmula quando esse homem apareceu. Era bem soturno, e causava arrepios, mas o que mais poderia se encontrar em pessoas do submundo? Ele me ofereceu a fórmula a um preço bem alto. Não me importei com o preço, e combinei com o cara para o dia seguinte mesmo, afinal, estava começando a ficar desesperado.
No dia seguinte, o amor da minha vida foi comigo até o local combinado. Ela entrou, mas nunca mais saiu. O lugar era uma fachada para tráfico de órgãos. Sim, eles a mataram, e roubaram seus órgãos para vender. Após tanto dinheiro que havia dado, porque tinham que mata-la?
Eu só queria poder passar o resto da minha vida com ela, e não terei nem mais um dia? Acho que isso foi o ponto que faltava para eu enlouquecer de vez. Ou talvez recobrar a consciência. O fato é que entendi o que é a eternidade. E como ela pode ser amarga. Sim, ter todo o tempo do mundo pode ser muito doloroso. E foi por isso que decidi por um fim nesse tempo hoje. Como faziam a alguns séculos. Uma corda no pescoço, e uma cadeira em baixo do meus pés, a qual irei derrubar após terminar de escrever essa carta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário